Mais notícias

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

NOTA DE REPÚDIO E SOLIDARIEDADE - Fórum Permanente das Mulheres de Manaus

Acredito na beleza das almas que existe dentro e fora das pessoas. Acredito que a maldade seja passageira e que o ódio seja o inicio do amor escondido dentro das almas. (F. Júnior/2018). 


O Fórum Permanente das Mulheres de Manaus, desde de 2006, vem provocando a sociedade das mulheres e dos homens, promotoras e promotores da paz e dos direitos, a assumir a missão de lutar pelos direitos humanos das pessoas. E nós, do Fórum Permanente das Mulheres de Manaus, assumimos a incumbência de juntas, lutarmos em favor, de uma sociedade, que não seja patriarcal, capitalista, machista, sexista, transfóbica, racista, lesbofóbica e cheia de ódio. 

Acreditamos que as mulheres podem viver sem violência, em uma sociedade justa, que respeite as identidades de gênero, que respeite a diversidade religiosa, que respeite a vida das mulheres. 

A violência contra mulheres vem tornando-se, a cada dia, uma das maiores mazelas sócias, no Brasil e no estado do Amazonas. Todos os dias surge um novo caso de violência física, sexual, psicológica, patrimonial, racial, até chegar ao feminicídio. Muitos casos são registrados e outros são desencorajados pela burocracia do Estado brasileiro, que acaba dificultando o acesso ao exercício pleno do direito. Sabemos que a violência existe em todas as camadas da sociedade. Também sabemos que a mesma não pode ser silenciada. 

As mulheres violentadas não podem se deixar silenciar. Seus gritos de dor, de indignação e de denúncia devem ecoar por todos os espaços. 

Assim, nós do Fórum Permanente das Mulheres de Manaus, manifestamos REPÚDIO acerca dos inúmeros casos de violência contra mulheres no estado do Amazonas/Manaus. Repudiamos o caso de violência física que sofreu a instrutora de informática, militante dos direitos humanos das mulheres, Mary Lúcia, que foi covardemente agredida na tarde do dia 29 de janeiro, em frente a sua casa no bairro Colônia Terra Nova, Zona Norte de Manaus, por volta das 16h30min, por um vizinho. Mary Lúcia registrou a ocorrência na Delegacia de Combate a Crimes Contra a Mulher (DECCM), afirmando que o agressor é seu vizinho, um lutador de artes marciais e que o crime foi cometido por homofobia (homofobia corresponde a uma série de atitudes e sentimentos negativos em relação a gays, lésbicas, bissexuais e também em relação a transgêneros e pessoas transexuais. Tais sentimentos podem ser: aversão, antipatia, desprezo, raiva inexplicável e engloba preconceito, discriminação e abuso). O autor lesbofóbico, no ano de 2014, agrediu a vitima e foi condenado, segundo os autos do processo nº 0609400-68,2014,8.04.0015. 

No ano de 2014, segundos dados do Ministério dos Direitos Humanos/ Secretaria Especial de Direitos humanos/ Diretoria de Promoção dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (DPLGBT), 14,29% das mulheres lésbicas foram agredidas por vizinhos e vizinhas, 31,68% das mulheres lésbicas agredidas no Brasil, o suspeito era vizinho. 36,36% das agressões foram cometidas em vias públicas. 

Ser lésbica é um direito, uma orientação e uma identidade sexual. Portanto, é fundamental e urgente que sejam garantidos os direitos e a cidadania lésbica. Mary Lúcia foi espancada, humilhada, ferida no corpo e alma. 

Ao ser socorrida por outras e outros vizinhos/as, que sensibilizados/as, usaram seus corpos como correntes humanas para proteger, acalentar e fortalecer a vítima. 

Mary viu que não estava sozinha, que a solidariedade existia. Com isso, teve erguida sua força, a sede por justiça, teve erguida a dor que não era apenas sua. A dor de muitas Mary, Joanas, Tonhas, Marias, Ana, Tiana, Aga, Doras e tantas outras que no silêncio vibram com a coragem de Mary Lúcia, em dizer: Basta de violência. 

Nós mulheres de luta e que lutam, esperamos que a justiça abra os olhos! 


Assim, prestamos nossa SOLIDARIEDADE, unimos nossa força a tua força, a tua garra de guerreira amazônida. Iremos juntas vencer o ódio, discriminação, preconceito, machismo, sexismo e a lesbofobia. 

O fim da violência contra as mulheres e a emancipação feminina são pressupostos para a construção de uma sociedade mais justa. 

Assinam a nota de repudio e solidariedade, 
  • Associação de Artesãos Indígenas de Manaus Amazônia Viva – AAIMAV; 
  • Associação de Travestis,Transexuais e Transgêneros do Amazonas -ASSOTRAM; 
  • Articulação de Mulheres Homoafetivas Aliados e Aliadas do Amazonas – ALMAZ;
  • Associação das Donas de Casa do Estado do Amazonas – ADCEAAM; 
  • Associação Amazonense de Mulheres Independentes pela Livre Expressão Sexual- AAMILES; 
  • Associação de Grupos Alternativos de Geração de Renda de Manaus – ASSGAGER; 
  • Associação Nossa Senhora da Conceição; 
  • Centro de Defesa da Mulher; 
  • Centro de Integração Amigas da Mama – CIAM; 
  • Coletivo Difusão; 
  • Coletivo Hip Hop Feminino; 
  • Conselho Estadual dos Direitos da Mulher - CEDIM; 
  • Conselho Regional de Serviço Social 15a Região (CRESS AM/RR); 
  • Comissão Pastoral da Terra – CPT; Coletivo OcupaMinaArt; 
  • Coletivo Mariam; 
  • Espaço Feminista Uri hi; 
  • Fórum Permanente dos Afro-descendentes do Amazonas; 
  • Frente Nacional de Mulheres no Hiphop; 
  • Fórum Afroamerindias e Caribenhas; 
  • Guerreiras Amazônicas em Movimento - GAM; 
  • Grupo de Estudos e Observatório Social: Gênero, Política, Poder – GEPOS;
  • Instituto Equit – Gênero, Economia e Cidadania Global; 
  • Instituto Cultural Afro Mutalembê; 
  • Movimento de Mulheres Camponesas – MMC; 
  • Movimento Feminista Maria sem Vergonha; 
  • Movimento Comunitario Vida e Esperança - MCVE Movimento de Mulheres Solidaria do Amazonas – MUSAS; 
  • Movimento de Mulheres Negras da Floresta – DANDARA; 
  • Movimento de Mulheres Orquídea; Macha Mundial das Mulheres – Núcleo Amazonas; 
  • Manifesta LGBT+; 
  • Núcleo Lélia Gonzalez; 
  • Pastoral Operaria -PO; 
  • Promotoras Legais Populares de Careiro Rede Grito pela Vida; 
  • União Brasileira de Mulheres – UBM





FÓRUM PERMANENTE DAS MULHERES DE MANAUS 
Manaus – AM – Brasil Fone: (5592) 992044578/ 991542836/993261943/991852888/981867526 
E-mail: fpmdemanaus@yahoo.com.br 
fpdasmulheresdemanaus2006@gmail.com https://forumdasmulheresdemanaus.blogspot.com.br 
Apoio: Instituto Equit 
Filiada: Articulação de Mulheres Brasileira – AMB



Nenhum comentário:

Postar um comentário