Mais notícias

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Pelos olhos de uma menina - Rede publica vídeo de sensibilização contra o Tráfico de Pessoas e exploração sexual




Pelos olhos de uma menina o sonho de vida digna casa, comida, escola... Nos olhos de uma menina a desilusão, o medo, a dor, a armadilha do Tráfico de Pessoas! Nos olhos de uma menina o apelo por Caminhos de Liberdade! Nos olhos de muitas meninas e de muitos meninos UM GRITO PELA VIDA! DIGA NÃO AO TRÁFICO DE PESSOAS! 

"PELOS OLHOS DE UMA MENINA" é um vídeo que tem o propósito de se tornar ferramenta para sensibilizar e ajudar famílias, crianças e adolescentes a não caírem na armadilha das redes criminosas do tráfico Humano! 

A Rede Um Grito pela Vida, por meio do projeto Caminhos de Liberdade, vem desenvolvendo ações e materiais para informar e sensibilizar contra o tráfico de pessoas e exploração sexual de crianças e adolescentes. 

Em 2015, além deste recente vídeo, foi lançado o jogo educativo REDE PELA VIDA - ENFRENTANDO O TRÁFICO DE PESSOASque utiliza o lúdico, imagens, palavras e dinâmicas para auxiliar na abordagem de temáticas da realidade social. 

"Nosso objetivo é contribuir na prevenção ao Tráfico de Pessoas, chamando as crianças e adolescentes a conhecer e protagonizar o enfrentamento desta realidade criminosa que destrói os sonhos e as vidas de tantas pessoas", ressalta a coordenadora da Rede, Ir. Eurides Alves de Oliveira. 

Também está em fase de impressão a revista em quadrinhos "NA TRILHA DE MARIA", que aborda a questão do tráfico para exploração do trabalho infantil, além de tocar em outros temas importantes. 

domingo, 13 de dezembro de 2015

Rede Um Grito Pela Vida é homenageada pela Assembleia Legislativa em Manaus.

A Rede Um Grito Pela Vida no Amazonas, recebeu homenagem na Assembleia Legislativa, juntamente com outras instituições que no ano de 2015 realizaram trabalhos de defesa e promoção da vida. 
Nossa gratidão ao Deus da vida pelo trabalho realizado e todas as companheiras e companheiros que contribuíram na luta do enfrentamento ao tráfico de pessoas. Nosso muito obrigada ao deputado José Ricardo pelo reconhecimento público deste trabalho.


Rede Um Grito Pela Vida participa de seminário sobre Trabalho Escravo em Manaus.

Nos dia 10 e 11 de dezembro aconteceu o Seminário Trabalho Escravo no Amazonas: estratégias para o enfrentamento, promovido pelo Ministério Público do Trabalho, foi um seminário muito rico, com mesas de debate sobre a realidade do trabalho escravo no amazonas, foi possível ter maior visibilidade deste crime e como acontece na região o trabalho escravo. Detre as mesa de debate destacamos: perspectivas de com combate ao trabalho escravo no Amazonas. Perspectivas e desafios no combate os TE em atividades extrativistas. A Rede Um Grito Pela Vida, reafirma a parceria e o trabalho em rede no combate a tantas formas de gradação da vida junto aos povos da amazônia. 



quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Tráfico de pessoas é alvo de campanha do governo de Minas

 Tráfico de pessoas é alvo de campanha do governo de Minas

De janeiro a novembro deste ano, Minas Gerais registrou 28 casos de tráfico de pessoas, envolvendo 115 vítimas. Entre 2011 e 2015, segundo a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac), 564 pesssoas foram traficas no Estado.

Para reduzir esse número, o governo informou que vai investir R$ 450 mil em campanha de prevenção e combate ao tráfico de pessoas no Estado. Os recursos serão utilizados para realização de caravanas de mobilização das comunidades de municípios estratégicos do interior e da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Além disso, segundo o Estado, vão ser confecção de material informativo e treinamento de agentes públicos e representantes da sociedade civil organizada.

As ações fazem parte do Programa de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, da Sedpac. Segundo a gerente do programa, Rafaela da Costa, a campanha começa em janeiro de 2016 com a finalidade de chamar a atenção da população sobre este tipo de crime, suas particularidades, além de fortalecer a rede de enfrentamento ao tráfico de pessoas.

Capacitação
Durante a campanha, caravanas formadas por técnicos da Sedpac e de representantes de outros órgãos públicos estaduais e federais vão percorrer vários cidades para capacitar os agentes públicos, representantes de organizações não governamentais e lideranças comunitárias.

“As ações visam contribuir para que haja um trabalho articulado de repressão ao tráfico de pessoas e de atenção às vitimas e suas famílias”, destaca Rafaela.

A equipe vai visitar cidades estratégicas do Vale do Rio Doce, Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba, Sul, Zona da Mata e Região Metropolitana de BH. As localidades foram escolhidas por apresentarem grande fluxo de pessoas.

Mobilização
O trabalho de mobilização contra o tráfico de pessoas ainda inclui a realização de debates, a elaboração e distribuição de material informativo para os 853 municípios  de Minas Gerais. Também será entregue para as comunidades visitadas o guia de referência da Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas no Brasil, publicado pelo Ministério da Justiça.

“Nosso objetivo principal é informar e alertar as pessoas sobre a dinâmica do crime e fornecer os canais de denúncia“, enfatiza a gerente do Programa de Enfrentamento do Tráfico de Pessoas em Minas.

O que é tráfico de pessoas?
As Nações Unidas definem o tráfico de pessoas como o recrutamento, o transporte, a transferência, o alojamento ou o acolhimento de pessoas, recorrendo a ameaças e uso da força.

Outras formas de coação são o rapto, a fraude, o engano, o abuso de autoridade e o uso da situação de vulnerabilidade da pessoa para fins de exploração. Entre os tipos de exploração estão a sexual, a exploração do trabalho, serviços forçados, escravidão ou práticas similares, a servidão, adoção ilegal e até a extração de órgãos.

O tráfico de pessoas é crime. Trata-se de uma restrição à liberdade de ir e vir e é uma afronta aos direitos humanos.

Denúncia
Para denunciar casos suspeitos de tráfico de pessoas e que se enquadrem em alguma das práticas ilícitas citadas acima, basta ligar no disque 100 ou 180. O denunciante também pode acionar a polícia local.

Fonte: traficodepessoas.org | hoje em dia