Mais notícias

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Rede Um Grito Pela Vida, núcleo de Manaus, realiza encontro de avaliação, planejamento e confraternização.


A Rede Um Grito Pela Vida, núcleo de Manaus, realizou nos dias 27 a 29 de novembro o  encontro de avaliação, planejamento e confraternização, foi um Tempo de rever a caminhada, celebrar a vida, estar juntas, pensar a direção que vislumbramos enquanto Rede Um Grito Pela Vida para 2016. Foi um tempo bom, marcado pelo bem querer que cultivamos nesta terra que amamos e por ela entregamos a vida. É preciso repor as boas energias, fortalecer a esperança para continuar o árduo trabalho de prevenção, incidência política e encaminhamento dos casos. Continuaremos nosso trabalho, com a certeza de que vale a pena cuidar da vida em cada espaço onde ela é ameaçada, ferida em sua dignidade.









ARTICULANDO COM OUTRAS IGREJAS O ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE PESSOAS






Dia 25 de novembro é uma data muito significativa por ser o dia instituído internacionalmente de luta pelo fim da violência as mulheres. O núcleo da Rede Um Grito pela Vida de São Paulo foi convidado pela Coordenadoria do Exército de Salvação para realizar uma formação referente à realidade do Tráfico de Pessoas no Brasil.


O Exército de Salvação é um movimento internacional e um ramo da Igreja Cristã baseada na Bíblia. Seu ministério é motivado pelo amor de Deus. Atuam onde a qualidade da vida e a dignidade humana sofrem ameaças. Intervêm com ações que combatem as injustiças que afetam os diversos segmentos vulneráveis da sociedade.


Participaram da formação um grupo de 20 lideranças, da América Latina e do Caribe, Canadá e da Inglaterra, que foi realizada no Centro de Conferências e acampamento “Vale das Bênçãos”, em Suzano, São Paulo.

Ir. Manuela Rodríguez Piñeres, da Rede Um Grito pela Vida, junto com a advogada Claudia Patrícia Luna, do Movimento contra o Tráfico de Pessoas (MCTP) e parceira da Rede Um Grito pela Vida em São Paulo, foram as responsáveis por esta atividade.

Em coerência com o pedido da Coordenadora Milka Santos, da Regional de São Paulo, o encontro teve como objetivo: oferecer elementos para o despertar quanto à realidade do tráfico de pessoas, sobretudo, no Brasil e na América. E assim, continuar abraçando com mais solidez e comprometimento a causa do tráfico de seres humanos.

O objetivo foi alcançado e superou as expectativas. Vale salientar que uma parceria muito boa começou a ser construída para continuar trabalhando essa realidade a partir dos projetos que o Exército de Salvação está desenvolvendo. Isso também irá somar forças nas ações de prevenção do tráfico de pessoas nas Olimpíadas de 2016.


A Rede continua em movimento, unindo os nós que integram experiências diferentes e muito ricas, no empenho de tecer novas parcerias, impulsionar e potencializar processos quanto à sensibilização e incidência política no enfrentamento ao tráfico de pessoas.

Ir. Manuela Rodríguez Piñeres (Oblatas do Santíssimo Redentor)
Referente da Rede Um Grito pela Vida - Núcleo SP
São Paulo, 25de Novembro de 2015.


terça-feira, 17 de novembro de 2015

Traficada? Rede Um Grito pela Vida cria vídeo animação como recurso para alertar sobre o tráfico de pessoas



A Rede Um Grito pela Vida, por meio do Projeto Caminhos de Liberdade, está produzindo um vídeo para alertar e sensibilizar a sociedade sobre o Tráfico de Pessoas para fins de exploração sexual. O vídeo-animação intitulado "Pelos Olhos da Menina" conta uma história de tráfico interno e alerta para a importância da denúncia. São muitas histórias que precisam ser contadas para que se quebre o silêncio. Em breve, o vídeo será lançado em nosso canal no youtube.

Curta nosso teaser no facebook e ajude a compartilhar. Junt@s somos mais fortes!

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Mapa da Violência 2015 | Homicídio de Mulheres no Brasil

Para colaborar com os diversos chamamentos nacionais e internacionais pelo fim da violência contra as mulheres, como início dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, ações da campanha do Secretário-Geral da ONU UNA-SE Pelo Fim da Violência contra as Mulheres, o Dia Internacional de Eliminação da Violência contra as Mulheres e também o Dia Nacional da Consciência Negra contribuímos com um novo Mapa da Violência, desta vez, focando a dinâmica dos homicídios femininos nos últimos anos.  
Além disso, um balanço da situação e evolução dos assassinatos femininos diante da recente aprovação da Lei do Feminicídio.

Clique na imagem para acessar o mapa

domingo, 8 de novembro de 2015

Promulgada a lei que pune empresas por prática de trabalho escravo no Maranhão

Por Leandro Miranda

Vitimas-de-Timon1O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Humberto Coutinho (PDT), promulgou a Lei – número 10.355, de 4 de novembro de 2015, de autoria do deputado Othelino Neto (PCdoB), que pune qualquer empresa, que faça uso direto ou indireto do regime de trabalho escravo ou condições análogas, com a cassação da inscrição no cadastro de contribuintes do ICMS (Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação).
Segundo o deputado, além da cassação do registro de ICMS, a nova Lei determina que as empresas, que se beneficiarem de mão-de-obra escrava, serão impedidas de exercerem o mesmo ramo de atuação ou de abrirem nova atividade econômica por dez anos. “Enfim, depois de um longo processo, a Lei está aí. Foi promulgada. Já está valendo e caberá ao Estado agora a aplicação e execução, pois não é admissível, que ainda hoje, haja essa prática maléfica no Maranhão. É preciso que esse mal seja, fortemente, combatido”, frisou.
O projeto, apresentado, pela primeira vez em 2013 por Othelino Neto, passou por um longo processo até ser promulgado este ano. Após ter sido vetado pela ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), ele foi reapresentado pelo deputado, junto à Mesa Diretora da Casa, no início de 2014. E, mais uma vez, foi aprovado em plenário e, posteriormente, rejeitado pelo então governo da oligarquia maranhense.
Ao todo foram três propostas semelhantes, pautadas no combate ao trabalho escravo, vetadas pela ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney. Na época, ela usou a mesma argumentação para eliminar as proposições: a de que matéria tributária é de competência exclusiva do Executivo. No entanto, o próprio parlamento, por meio de projeto do deputado Max Barros (PMDB), já havia derrubado essa exigência.
No dia 25 de fevereiro deste ano, em votação aberta e nominal, o plenário da Assembleia do Maranhão rejeitou o veto total imposto pela então governadora Roseana Sarney ao projeto que pune qualquer empresa, que faça uso direto ou indireto do regime de trabalho escravo ou condições análogas, com a cassação da inscrição no cadastro de contribuintes do ICMS.
ENTENDA A NOVA LEI DE COMBATE AO TRABALHO ESCRAVO
O projeto de Othelino foi inspirado na lei paulista nº14.946/2013, de autoria do deputado Carlos Bezerra Jr. (PSDB), que foi regulamentada pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em 2012. Propostas semelhantes já foram apresentadas nos estados de Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rio de Janeiro.
De acordo com a Lei promulgada, a empresa que adotar trabalho escravo, além das penas previstas na legislação própria, terá cassada a eficácia da inscrição no cadastro do ICMS. O descumprimento será apurado na forma estabelecida pela Secretaria de Estado da Fazenda, assegurado o regular procedimento administrativo ao interessado.
A Lei determina ainda que, esgotada a instância administrativa, o Poder Executivo divulgará, por meio do Diário Oficial do Estado, a relação nominal das empresas que tenham sido penalizadas com base no dispositivo da Lei. Nessa lista constarão também os respectivos números do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), endereços de funcionamento e nome completo dos sócios.
Segundo a nova Lei, a cassação da eficácia da inscrição do cadastro do ICMS implicará aos sócios, pessoas físicas ou jurídicas, em conjunto ou separadamente, da empresa penalizada o impedimento de exercerem o mesmo ramo de atividade, mesmo que em estabelecimento distinto; e a proibição de entrar com pedido de inscrição de nova empresa do mesmo setor. As restrições previstas no projeto de lei prevalecerão pelo prazo de dez anos, contados da data da cassação.
Fonte direta: http://marrapa.com/promulgada-a-lei-que-pune-empresas-por-pratica-de-trabalho-escravo-no-maranhao/

Oficina sobre Tráfico de Pessoas em Tobias Barreto/SE


Durante o mês de outubro, o Papa Francisco, como em todo mês, fez uma intenção de oração: a erradicação do tráfico de seres humanos. Então, em Tobias Barreto/Sergipe decidimos ter uma Semana de Oficinas sobre o Tráfico de Pessoas (18 a 26/10). Participaram mais ou menos 300 jovens e adolescentes em grupos de 25.

Começamos com um documentário de 15 minutos; depois eles foram para a sala de exposição para ler as histórias e os fatos sobre o tráfico. Em seguida, responderam 10 perguntas relacionadas com o tema. O encerramento se deu com a oportunidade de jogar o novo jogo pedagógico REDE PELA VIDA, criado pela Rede Um Grito pela Vida para informar e prevenir o tráfico de pessoas.

Núcleo Bahia/Sergipe  Tobias Barreto SE








sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Rede Um Grito Pela Vida participa regional Amazonas/Roraima participou da inauguração do posto humanizado de atendimento ao migrante e pessoas vítimas do tráfico humano no aeroporto internacional Eduardo Gomes.

No dia 27 de outubro de 2015 aconteceu a Inauguração do posto humanizado de atendimento ao migrante e pessoas vítimas do tráfico humano no aeroporto internacional Eduardo Gomes em Manaus. Ao passar pelo aeroporto faça uma visita, está localizado no saguão do aeroporto no terceiro andar.



Rede Um Grito Pela Vida, regional Amazônas/Roraima participou do VIII Encontro das Mulheres Profissionais do Sexo de Manaus

No dia 29 de outubro a Rede Um Grito Pela Vida, regional Amazônas/Roraima participou do  VIII Encontro das Mulheres Profissionais do Sexo de Manaus, no encontro entre as diversas temáticas abordadas uma delas foi tráfico de mulheres com o tema: Defendendo e promovendo a liberdade na profissão, não ao tráfico de mulheres. 



Rede Um Grito Pela Vida, Regional Amazonas, realiza atividades de prevenção ao tráfico de pessoas nas escolas em Presidente Figueiredo

Nos dias 03 a 05 de novembro, A Rede Um Grito Pela Vida, com as indegrantes: Elineuza, Rosineuda, Olga e Rose, estiveram na cidade de Presidente Figueiredo juntamente com as Irmãs Agostina e Cleuodete da comunidade Jesus Adolescente para realizar atividades de sensibilização e informação sobre a realidade do abuso, exploração sexual e tráfico de pessoas em três escolas: Escola Municipal Deyse Lammel Hendges, Escola Estadual Maria Calderaro e Escola Estadual Presidente Figueiredo, 
Foram três dias muito intenso com muitos relatos de crimes contra a vida, também tivemos a oportunidade de fazermos uma visita a promotora da cidade, que nos acolheu e pediu para fazermos um documento com os relatos dos depoimento que ouvimos nas escolas com suspeita de tráfico de pesosas. Seguimos, na certeza de que somente com informação e denuncias, é possível punir as redes criminosas. Nossa gratidão as Irmãs Agostina e Cleuodete pela acolhida e organização das atividades na escola e toda logística, o que permitiu um maravilhoso trabalho.