Mais notícias

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Região Norte do Brasil realiza o I Encontro Internacional de Formação.

Encontro Internacional de Formação - 04 a 08.03.2015
O GRITO PELA VIDA QUE VEM DA AMAZÔNIA 
 NÃO AO TRÁFICO DE PESSOA

OBJETIVO

Fortalecer a atuação em rede, capacitar e formar lideranças para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, desenvolvendo práticas pedagógicas e construindo propostas de políticas públicas para a prevenção do tráfico na Amazônia.


PROGRAMAÇÃO


DIA 3 de março
Chegada, acolhida e credenciamento.

DIA 4 de março
Coordenação: Rede Núcleo Manaus. (Sandra Loyo e Nilda Nair)
·         07h. Café da manhã.
·         08h.  Mística de abertura e apresentação. Circularidade da mandala. (Rede - Manaus).
·         Fala de abertura. Dom Mário Antônio, Pe. Cleverton Márcio Araújo da Silva, Coordenador da CRB Regional Amazonas/Roriama, Ir. Roselei Bertoldo, Articuladora da Rede Um Grito Pela Vida, Amazonas/Roraima,  Ir. Eurides Alves de Oliveira, Coordenadora Nacional da Rede Um Grito Pela Vida. Ir. Gabriela Botani, Rede Internacional Talita Kun.
·         Teatro –  Cia. de Dança Arte Sem Fronteiras. Wilson
·         10h. Apresentação (10 minutos) para cada estado: trazer elementos da realidade de tráfico de pessoas destacando 3 desafios a serem partilhado (Estado do Brasil – Amazonas, Pará, Rondônia, Acre, Roraima, Amapá, Tocantins, Maranhão. Países: Perú, Colômbia, Suriname, Guiana Inglesa, Guiana Francesa e Venezuela, CPT Nacional, Fei Xavier Plassat,  Comissão Justiça e Paz, Ir. Henriqueta.
·         12:30h almoço.
·         14:30h Análise de conjuntura atual da Amazônia legal (destacando a questão econômica, sociopolítica e gênero) - (Prof. Doutora Márcia Maria de Oliveira)
·         16h Intervalo
·         16:30h Dimensão econômica na fronteira amazônica. (Maria Madalena Ferreira)
·         17:40h Por proximidade ressonâncias, 3 pontos para os grupos colocarem na rede
·         18:00h socialização das ressonâncias - Eurides ajudará o grupa a tecer os fios...
·         18:30h  jantar
·         20h Partilha das experiências significativas dos países. (Peru, Suriname)
·         Benção de encerramento do dia.

DIA 5 de março

Coordenação Ir. Gabriela  e Núcleo de Porto Velho.
·         06:30h café da manhã
·         07:30h mística (Belém, Suriname)
·         08h Dinâmica: Construção do Mapa das rotas do tráfico de pessoas. Sobre o mapa serão colocados marcadores (Setas) para escrever para onde são levadas as pessoas traficadas (origem e destino) construindo as rotas. (Chamas) para identificar pontos de exploração sexual, (por exemplo – garimpos, portos, etc..) em cada região.
·         08:30h Leitura do tráfico de pessoas na Amazônia, suas forças estruturantes, suas dinâmicas concretas, quanto da política nacional de enfrentamento e a importante discussão conceitual. (Marcel Hazeu – ONG Só Direitos - Belém)
·         10:30h Intervalo para o lanche
·         10:45h continuidade.
·         11:30h cochicho por proximidade e ressonâncias. O que queremos que não se perca na caminhada - memória. (Destacar um elemento em cada grupo para tecer a rede).
·         12:30h almoço
·         14h Partilha das experiências significativas de enfrentamento ao tráfico de pessoas.
o   Pará: Ir. Henriqueta - CJP, acompanhamento as vítimas e denúncias do tráfico de pessoas.
Ir. Rosa Maria: (Rede Um Grito pela Vida): Pastoral nos portos e trabalho preventivo com grupos de mulheres indígenas.
o   Perú: Ciceron: Partilha do trabalho preventivo sobre o tráfico de pessoas na educação formal.
o   Manaus: Ir. Rose - Rede Um Grito Pela Vida. Articulação e parcerias. Ações de intervenção social.
o   Prof. Vereador Bibiano – Criação da Frente Parlamentar de prevenção e enfrentamento ao TP.
15:30h Intervalo 20 min
o   Tabatinga: Isalene Thiene enfrentamento ao tráfico de pessoas nas fronteiras.
o   Porto Velho: Madalena Formação de Multiplicadores – Curso de extensão UNIR.
o   Frei Xavier Plassat- CPT. Campanha: Fique de olho em não virar escravos.
e    Talitha Kum internacionalidade - E. Gabriela.

·         Fechamento do dia Ir. Gabriela –Porto Velho, tessitura dos fios da rede do dia.
·         20h Noite: partilhas de outras iniciativas internacionais (Colômbia, Guinas.)
·         Benção de encerramento do dia.


DIA 6 de março

Coordenação Eurides e Núcleo de Belém.
·         06:30h café da manhã
·          07: 30h místico (Rondônia, Acre, Peru - Mãe de Deus)
·         08h Um olhar externo: Diagnostico dos organismos previstos no I e II PNETP na Região Amazônica, desafios e perspectivas, informações e propostas de ações para os estados onde há e aonde não há NETP ou PAHM. (Heloisa Greco Alves -  Coordenadora Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas - do Ministério da Justiça.
·         10h – trabalho em grupo: Um olhar interno: Diagnóstico de potencialidades e desafios no enfrentamento ao tráfico de pessoas na Região Norte. Resultado do trabalho de grupo são perguntas e propostas a serem apresentadas em um diálogo conclusivo com Eloisa Greco Alves.
·         10:40h debate com Eloisa Greco Alves -  modera Ir. Eurides.
·         12:30h almoço
·         14h Expressão corporal para motivar o compromisso de enfrentamento ao tráfico de pessoas. (Alan e Fatima Cunha)
·         14:30h Fala das três responsáveis para as oficinas para as propostas de políticas públicas para o enfrentamento ao tráfico de pessoas na região norte:
Ir. Henriqueta Cavalcante, Comissão Justiça e Paz, para o eixo da Prevenção, (Elementos para a construção de propostas e formulação de políticas públicas no enfrentamento ao tráfico de pessoas, no eixo da prevenção).
Graça Prola da SEAS- AM para o eixo da assistência às vítimas, (Políticas públicas existentes para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, elementos para a construção de propostas e formulação de novas políticas públicas, no eixo da assistência as vítimas da violência do tráfico)
Letícia Botelho para o eixo da responsabilização. (Legislação de responsabilização ao tráfico de pessoas).
·         16h Intervalo para o lanche
·         16:15h divisão dos grupos para os trabalhos das oficinas as três responsáveis.
Grupo I Ir. Henriqueta Cavalcante para o eixo da Prevenção,
Grupo II Graça Prola da SEAS AM para o eixo da assistência às vítimas,
Grupo III Letícia Botelho para o eixo da responsabilização.

·         19:00 jantar
·         Leitura dos resultados das oficinas. (Perguntas de esclarecimentos)
·         Benção de encerramento do dia.

DIA 7 de março

Coordenação Márcia e Madalena.

·         06:30h café da manhã.
·         07:30h mística (Roraima e Venezuela)
·         08h Mesa da circularidade com os seguintes temas – coordenadora Professora Doutora Márcia Oliveira. Cada um tem 30 minutos.
o   Tráfico de pessoas para fins de Exploração sexual e questão de gênero na Amazônia.   (Prof. Doutora Iraildes Caldas - Manaus)
o   Exploração laboral no campo, na cidade (Frei Xavier Plassat – CPT Tocantins).
o   Novos fluxos migratórios (Professora, Doutora Frances Rodrigues UFRR).

·         10:30h lanche
·          10: 45h debate
·         11:45h cochicho por proximidade para definir os pontos que queremos amarrar e dar continuidade na tessitura da Rede.
·         12:30h Almoço
·         14h Memória dos nós amarrado na rede e das propostas de políticas públicas. (Equipe de coordenação) Encaminhamento para o trabalho de grupo com a finalidade de dar encaminhamentos para propostas.
o    Fortalecer e promover o trabalho em rede, ente os Estados e Países;
o   Desenvolver propostas concretas para políticas públicas e atividades voltadas a uma efetiva prevenção do tráfico de pessoas na Amazônia.

·         Noite Cultural com jantar regional
·         Grupo de animação (Salesianos e convidados)

DIA 8 de março

Coordenação (Sandra Loyo e Eurides)

·         07h café da manhã
·         08h Plenária para conclusão e os encaminhamentos e propostas
·         Carta conclusiva do encontro.
·         Avaliação
·          Entrega do certificado.
·         Celebração eucarística conclusiva
·         Encerramento com almoço.

14:30 passeio pela cidade com quem estiver.


“... o tráfico de pessoas representa a escravidão de nossa época, a mercantilização da vida. O tráfico de pessoas desvela a ambiguidade e a violência de um modelo econômico de desenvolvimento que, em nome do lucro, considera tudo, inclusive as pessoas, como mercadoria” (Gabriela Bottani)


sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Mesa Redonda “Fraternidade, Igreja e Sociedade - Eu vim para servir” e a reflexão sobre o Tráfico de Pessoas



Afrouxe as correntes, elas são pesadas”. (Santa Bakhita)

A REDE UM GRITO PELA VIDA, criada em 2006 por um grupo de Irmãs de diferentes Congregações, é um espaço aberto para que outras irmãs e irmãos da Vida Religiosa, assim como leigas/os, possam se aderir, apoiar e comprometer-se no enfrentamento da realidade do Tráfico de Seres Humanos, sendo atualmente uma forma moderna de escravidão e exploração dos corpos humanos. Este Crime Organizado Transnacional, cresce assustadoramente privilegiando entre suas vítimas: mulheres, crianças e adolescentes. Encontra-se entre as três fontes ilícitas de lucro na economia internacional.

Unidas/os como Rede que luta e grita pela VIDA, vamos dar um BASTA! É preciso que a VRC sinta o apelo de Deus a assumir com um novo ardor missionário e profético, essa realidade desafiadora.

É com alegria que convidamos vocês para participarem de uma mesa redonda que focará sua reflexão na Campanha da Fraternidade deste ano, com o tema e o lema: “Fraternidade, Igreja e Sociedade - Eu vim para servir”, e o Tráfico de Pessoas.

Seja você mais um/a integrante da Rede Um Grito pela Vida! Participe!

DATA: 07 de março de 2015
LOCAL: Educandário São José, das Irmãs do Imaculado Coração de Maria.
ENDEREÇO: Rua Belém, 129- Próximo da Estação do Metrô Belém.
TELEFONE: (11) 2 693-1378.
HORÁRIO: 08h30min a 12h00min.
ASSESSORIA: Dra. Cláudia Luna, Dra. Anália Ribeiro e Fernando Altemeyer.
ATENÇÃO: Favor fazer sua inscrição até dia 05/03/2015 pelo site da CRB/SP:  www.crbsp.org.br                                                                                
Irmã Inês da Costa Camargo, ftos. 
Assessora Executiva Regional da CRB, SP


Fones: (11) 3141-2566 e 3253-4168
Home-Page: www.crbsp.org.br / E-mail: crbsp@crbsp.org.br

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Somos milhões de luzes iluminando o mundo


A Rede Um Grito Pela Vida, Regional Amazonas/Roraima juntamente as Dioceses, Paróquias, Comunidades, Grupos do Regional Norte 1 celebraram o Dia Internacional de Oração e Reflexão contra o tráfico de pessoas.


Foi um tempo forte de oração pelas tantas pessoas vitimas da violência do tráfico humano e para aquelas que lutam incansavelmente para acabar com as redes criminosas. 

Equipe da Campanha da Fraternidade, Arquidiocese de Manaus.
Frei Paulo Xavier - Benjamin Cosntat


Área Missionaria Sagrada Família.



Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Presidente Figueiredo - AM
Paróquia de Careiro Castanho.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Somos luzes contra o tráfico de pessoas!

Vamos nos unir em um só grito e iluminar o mundo.

DIA INTERNACIONAL DE ORAÇÃO E REFLEXÃO SOBRE O TRÁFICO DE PESSOAS. 
ACENDA UMA VELA CONTRA O TRÁFICO DE PESSOAS
ENFRENTAR O TRÁFICO DE PESSOAS É COMPROMISSO DE TODAS/OS

O Tráfico de pessoas configura, em nossos dias, uma grande chaga social. Constitui uma das formas mais explicitas da escravidão do século XXI. Reflete profundas contradições históricas, nas relações humanas e sociais. Configura uma das piores afrontas à dignidade humana e uma das mais cruéis violações dos direitos humanos. 

Organizações da sociedade Civil, dentre elas a Rede “Um grito pela Vida” atua no enfrentamento ao trafico de pessoas, nas diversas regiões do país, articuladas em núcleos, integradas com as organizações eclesiais e civis, fomentando, promovendo e/ou participando de atividades e processos de prevenção e atenção às vítimas, e na incidência política, buscando instruir e instrumentalizar a sociedade, e coibir o crescimento da inserção das novas pessoas neste mercado do crime, que está entre as três formas ilícitas mais rentáveis do mundo: armas, gente e drogas.

Conforme as estimativas da organização Walk Free, cerca de trinta milhões de pessoas no mundo são vítimas de tráfico de pessoas. Trata-se de mulheres, crianças, adolescentes e homens submetidos a todas as formas de explorações: trabalho escravo, servidão domestica, adoções ilegais, mendicância, tráfico de órgãos, exploração sexual, para práticas criminosas.

As principais vítimas pertencem aos grupos mais vulneráveis: migrantes, mulheres, crianças e adolescentes, procedentes de regiões marcadas pela pobreza, instabilidade política e desigualdade econômica. A Organização das Nações Unidas contra o Crime (UNODC) em seu relatório global de 2012 aponta que no mundo inteiro, e não diversamente em nossa América Latina, a maioria absoluta das pessoas traficadas, 75%, são mulheres jovens e crianças e adolescentes, principalmente para exploração sexual.

Os empresários do tráfico de pessoas compreendem aliciadores e agenciadores que integram uma rede complexa e articulada que envolve inúmeras pessoas e instituições. O Brasil, país de origem, trânsito e destino desta prática criminosa, é responsável por 15% das pessoas exportadas da América Latina para a Europa.

O trafico de pessoas desvela a pecaminosa logica de um sistema que estruturado e sustentado nas desigualdades e na injustiça. É imprescindível um trabalho consistente de superação das causas do tráfico de pessoas. Não é possível apregoar a erradicação do tráfico de pessoas sem combater a escandalosa desigualdade socioeconômica que faz ricos cada vez mais ricos e pobres cada vez mais pobres. Acoplados a esta causa estruturante, o tráfico de pessoas resulta de uma multiplicidade de outros fatores sociais, culturais, ideológicos e políticos expressos nos paradigmas etnocêntricos e patriarcais que perpetua as desigualdades de gênero e raça, nos fluxos de migração forçada, na pornografia midiatizada, no déficit da legislação e na impunidade.

Neste contexto de vulnerabilidades acumuladas, o enfrentamento ao tráfico de pessoas impõe a necessidade de um processo articulado de formação e mobilização social, capaz de eliminar as estruturas de exclusão e morte que o produzem e sustentam. A construção de uma sociedade sem tráfico de pessoas requer um processo permanente e incisivo de intervenção em todos os níveis e dimensões: na prevenção, na atenção e assistência as vitimas, na incidência politica e responsabilização dos culpados.

Essa tarefa se impõe a todas e todos nós: sociedade e Estado. Urge uma ação planejada, articulada para barrar essa chaga do corpo da humanidade. “ O tráfico de pessoas é uma chaga no corpo da humanidade, um crime contra a humanidade.(...) Uma derrota para o mundo. Todas as pessoas de boa vontade não podem permitir que milhões de mulheres, homens e crianças sejam tratados como objetos, enganados, violados, vendidos e revendidos, com diferentes fins, prejudicados no corpo e na mente, e depois descartados, abandonados ou assassinados. Isto é uma vergonha. Uma derrota para o mundo. Não pode continuar!.” (Papa Francisco)

Irmã Eurides Alves de Oliveira, ICM
Coordenadora da Rede Um grito Pela vida

Dia de oração contra o tráfico de pessoas


Núcleo da Rede Um Grito pela Vida acende velas contra o tráfico de pessoa
"Deus é a grande luz e nós pequenas luzes nessa missão de enfrentar o Tráfico Humano. Sigamos firmes em com nosso grito pela Vida!"
Missionários Saletinos - LUZ CONTRA O TRÁFICO HUMANO
Coordenação Rede Um Grito pela Vida
Red Kawsay

Francisco: Tráfico de pessoas é chaga vergonhosa e indigna da sociedade



Cidade do Vaticano (RV) – Após a oração mariana do Angelus, o Papa recordou que neste dia 8 de fevereiro, memória litúrgica de santa Josefina Bakhita, a Igreja celebra o primeiro Dia internacional de oração contra o tráfico de pessoas.


“Encorajo os que estão empenhados em ajudar homens, mulheres e crianças escravizados, explorados e abusados como instrumentos de trabalho ou de prazer e, com frequência, torturados e mutilados. Faço votos que os que têm responsabilidade de governo trabalhem com decisão para remover as causas desta vergonhosa chaga: é uma chaga vergonhosa indigna de uma sociedade civil. Cada um de nós se sinta empenhado em ser voz desses nossos irmãos e irmãs, humilhados em sua dignidade”, disse o Papa, rezando uma Ave-Maria com os fiéis na Praça S. Pedro pelas vítimas e suas famílias.
Além do apelo na Praça S. Pedro, o Papa aderiu à iniciativa acendendo simbolicamente uma luz no site lançado para a ocasião. É possível fazer o mesmo, acessando o endereço http://a-light-against-human-trafficking.info/
O primeiro Dia internacional de oração contra o tráfico de pessoas é uma iniciativa da União dos Superiores-Gerais masculinos e femininos, promovido pelos Pontifícios Conselhos da Pastoral para os Migrantes e os Itinerantes e da Justiça e da Paz, e da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica.
Ainda no Angelus, o Papa Francisco recordou que Santa Josefina Bakhita fez a "dramática experiência" de ser vítima do tráfico de seres humanos quando criança. Ex-escrava sudanesa, tornou-se religiosa canossiana e em 2000 foi canonizada por João Paulo II. (BF)
Copyright Rádio Vaticano

Educadores rezam e acendem velas contra o Tráfico de Pessoas

ESCRITO POR CRB COMUNICAÇÃO LIGADO . PUBLICADO EM DESTAQUE
Por ocasião do Dia Internacional de Oração contra o Tráfico de Pessoas, os educadores do ESI- Santa Teresa fizeram um significante momento de oração e acenderam velas individuais contra o Tráfico de Pessoas.  Razão desta ação é que no domingo, 8,dia de Santa Bakhita, que foi vítima do crime, a Igreja convoca toda a sociedade a acender uma vela e rezar em vista do fim deste mal  que dizimas milhares de famílias no mundo.
Também neste domingo, o prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, dom João Braz de Aviz, presidirá uma missa nesta intenção, em Roma. De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e o Escritório da Organização das Nações Unidas contra a Droga e o Crime (Unodc), as vítimas do tráfico para diversos fins, como exploração sexual, trabalho forçado, tráfico de órgãos e adoções ilegais, chega a 21 milhões, no mundo.
A Rede Talitha Kum, da Vida Consagrada contra o Tráfico preparou para o Dia Internacional de Oração um site onde aqueles que desejarem poderão acender a sua vela virtual em unidade com toda a Igreja e as pessoas de boa vontade que trabalham na luta pela erradicação deste mal.
Veja mais: 

Em Minas, educadores da Rede ESI debatem o tema da C. F 2015 e acendem velas contra o Tráfico de Pessoas