terça-feira, 24 de março de 2015

V Simpósio Internacional para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas - CNJ

CNJ realiza o V Simpósio Internacional para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realizará, nos dias 16 e 17 de abril, em Fortaleza/CE, a quinta edição do Simpósio Internacional para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. O evento será na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (TRT7), parceiro na iniciativa. O objetivo é discutir temas específicos entre os agentes que lidam com o problema e reforçar sua capacitação e aperfeiçoamento profissional.
As inscrições estarão abertas a partir desta sexta-feira (13/3), até 8 de abril. Serão oferecidas 200 vagas para o evento, sendo 80 para magistrados dos Tribunais Regionais Federais, Tribunais Regionais do Trabalho e Tribunais de Justiça dos Estados e do Distrito Federal e Territórios e 120 para membros do Ministério Público, representantes do Ministério da Justiça, Advogados Públicos (Defensoria Pública da União, Estados, Advocacia Geral da União), Auditores Fiscais do Trabalho, Polícias Judiciária e Administrativa, Secretarias de Educação e da Saúde e Rede de Atendimento às Vítimas.
A coordenação geral do simpósio está a cargo do conselheiro do CNJ Guilherme Calmon. A coordenação científica, por sua vez, é do juiz de direito Rinaldo Aparecido Barros, do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO).
Os participantes do evento receberão certificado emitido pelo CNJ em parceria com a Escola Judicial do TRT7.

Divulgação CNJ

Projeto “Vez e Voz” abre vagas - Enfrentamento ao tráfico de pessoas no Distrito Federal e entorno

Compartilhamos o informe do Projeto “Vez e Voz”, que está com vagas abertas para novas/os extensionistas. Estudantes de quaisquer cursos podem se inscrever para atuação voluntária.

O Projeto tem atuado desde 2013 no enfrentamento ao tráfico de pessoas no Distrito Federal e entorno, em um viés preventivo e a partir de um conhecimento popular e feminista. Atualmente, realiza oficinas sobre temas correlatos ao tráfico de pessoas em escolas públicas da cidade de Águas Lindas de Goiás – local que possui altos índices de pessoas traficadas, tanto em casos de tráfico interno, quanto externo.

Também trabalha com incidência político-jurídica no processo de construção de políticas públicas distritais e estaduais para enfrentamento ao tráfico de pessoas, como por exemplo, na criação de um Plano Distrital de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

A formação para nov@s participantes inclui duas capacitações: uma dia 10 de maio e outra dia 7 de junho. Para participar ou para obter mais informações, basta enviar um e-mail para vezevozdfgo@gmail.com. 

Documentário "TRÁFICO HUMANO - DESPERTE PARA ESSA REALIDADE".

A escravidão foi abolida oficialmente há mais de 100 anos, mas segundo dados da ONU milhões de pessoas ainda são traficadas e submetidas ao trabalho forçado, exploração sexual e remoção de órgãos. Diante desta realidade, o presente documentário trata da temática fazendo uma abordagem especial ao tráfico de mulheres para fins de exploração sexual. Além de fomentar a necessidade de intensificação das campanhas de prevenção para que haja uma maior efetividade no combate a este crime. 

Saiba mais sobre a Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas

Logo
Sendo o tráfico de pessoas um crime complexo e transnacional, para que haja um efetivo enfrentamento a esse crime, torna-se fundamental o processo de articulação, descentralização e participação de todos os segmentos da sociedade, de forma a estabelecer um pacto federativo entre os distintos poderes e níveis de governo, em parceria com a sociedade civil organizada, institutos de pesquisa e organismos internacionais.  A esse conjunto instituições e atores envolvidos no processo denomina-se, de forma genérica, Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. 

Compondo a Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, destaca-se a atuação da Rede de Núcleos de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Postos Avançados de Atendimento Humanizado ao Migrante, bem como dos Comitês Estaduais de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas. Essas instituições, de acordo com suas respectivas atribuições, são responsáveis por materializar os princípios da Política Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas nos estados e municípios. Leia: Carta da Rede de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Postos Avançados de Atendimento Humanizado ao Migrante.

domingo, 22 de março de 2015

Rede Um Grito Pela Vida - Regional Amazonas/Roraima planejando as atividades de 2015

O Núcleo de Manaus reuniu-se no dia 11.03 para a avaliar o Encontro Internacional de Formação - O Grito que vem da Amazônia, concluir a planejamento das atividades de 2015 e distribuir as representações nos espaços de controle social e politicas públicas. Houve também a acolhida das novas integrantes do núcleo. O núcleo assumiu seguir investindo força no trabalho preventivo com as atividades nas escolas e comunidades, somando força nas mobilizações e ações de intervenção social e politica junto as entidades e órgãos públicos. E investir com firmeza e determinação na reivindicação em prol da construção do plano estadual de Enfrentamento ao trafico de pessoas no AM. Reafirmou também a dinâmica de formação continuada das integrantes do núcleo com estudo semanal.


sexta-feira, 20 de março de 2015

10 anos de Martírio de Ir. Dorothy Stang - Nuvens de Testemunhas

Bom dia amigas (os): 
compartilhamos o vídeo da Verbo filmes sobre a Via Sacra com motivo dos 10 anos de martírio de Ir. Dorothy Stang.


Grande abraço e que a memória dessas "nuvens de testemunhas" animem e fortaleçam a nossa caminhada.

Ir. Manuela

segunda-feira, 16 de março de 2015

CELEBRAÇÃO DOS/AS MÁRTIRES DA CAMINHADA


No dia 28 de Fevereiro, em memória dos 10 anos de martírio de Ir. Dorothy Stang (Congregação de Nossa Senhora de Notre Dame), participaram de uma via sacra Irmãs Manuela e Marilda (Oblatas do Santíssimo Redentor) e da Rede um Grito pela Vida – Núcleo SP, junto com Ir. Alice Duarte (ICM). Também compartilharam este celebração Irmãs Sirley e Ir. Josefina, também OSR. Aconteceu no Arsenal da Esperança “Dom Luciano Mendes de Almeida”, bairro de Mooca SP.

Segunda Estação - Tráfico de Pessoas - Representação Rede Um Grito pela Vida

Esta celebração teve como intuito fazer um resgate histórico da dimensão do martírio na Igreja, nesta época que se fala muito pouco dessas pessoas de ontem e de hoje, anônimas ou não, que entregaram sua vida pela causa do Reino.

Esta foi uma iniciativa do grupo JUPIC (Justiça, Paz e Integridade da Criação e Comunidades Religiosas Inseridas). A Rede um Grito pela Vida participou da celebração, no contexto de um trabalho em parceria com o JUPIC, fazendo a segunda estação onde foi apresentada a realidade gritante do Tráfico Humano, dessas pessoas também martirizadas, sobretudo de mulheres, crianças e adolescentes para a exploração sexual.


Outros grupos trouxeram a realidade das/os migrantes, da mãe terra, dos povos indígenas, entre outras. Contemplamos ao Mártir Jesus Crucificado e ameaçado na sua vida nessas realidades. Foi um momento orante de muita profundidade, a expressão de cristãos e cristãos que acreditam ainda numa outra sociedade sem corrupção, sem exploração, sem injustiça onde reina a igualdade de direitos para todos e todas.

Por isso experimentamos que uma tocha de esperança se acende com muito brilho e vida nova ressuscitada. É o compromisso de muitos grupos e pessoas, além dos/as presentes, que estão fazendo a diferença, lutando com coragem, ousadia e muita fé no primeiro mártir Jesus, por essa nova sociedade.



Foi uma expressão de junção de militância com a fé. Ir. Dorothy, tombada um 12 de fevereiro de 2005 pelos fazendeiros de Anapu (Estado do Pará) por sua luta pela terra, nos deu seu exemplo que se reflete em suas palavras: Estou ameaçada de morte pelos fazendeiros e invasores da a terraTem a coragem de ameaçar-me e de exigir mi expulsão  de Anapu. Somente porque eu clamo por justiça.”[1] Tenho que estar com estas pessoas…Se elas são  significativas en mi vida, quero dar minha vida.[2]  Isso testemunha que sempre sustentara sua vida numa força espiritual, numa força maior, na força de Deus. “Todos/as nos conhecemos o movimento de Deus na vida da Ir. Dorothy diz uma irmã de sua comunidade.”.[3]


Nesta celebração, sentimos o apelo de Deus a continuarmos seguindo o mártir Jesus nas pegadas de Ir. Dorothy e de outros grupos de pessoas: migrantes, indígenas, em situação de tráfico humano e no martírio de nossa mãe terra que geme com dores de parto, diante do maltrato permanente de seus habitantes, sobretudo, dos que vem só nela uma fonte de lucros volumosos para aumentar o capital.

Renovamos mais uma vez o compromisso de continuar levantando a bandeira da luta pela VIDA como “vidas pela vida e vidas pelo Reino.”[4]


Ir. Manuela Rodríguez Piñeres(Oblatas do Santíssimo Redentor) 
Rede Um Grito pela Vida- SP



[1]LE BRETON, Binka(2008) “A dádiva maior”, a vida e a morte corajosa de Ir.  Dorothy Stang, pág. 202, Editora Globo, São Paulo, Brasil.
2 pág. 211
3 pág. 202
[3] Idem, pág. 204
[4] CD de Zé Vicente

sábado, 14 de março de 2015

I Encontro Internacional da Região Norte do Brasil.

Encontro Internacional de Formação - 04 a 08.03.2015

O GRITO PELA VIDA QUE VEM DA AMAZÔNIA – NÃO AO TRÁFICO DE 
Objetivo: Fortalecer a atuação em rede, capacitar e formar lideranças para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, desenvolvendo práticas pedagógicas e construindo propostas de políticas públicas para a prevenção do tráfico na Amazônia.

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Região Norte do Brasil realiza o I Encontro Internacional de Formação.

Encontro Internacional de Formação - 04 a 08.03.2015
O GRITO PELA VIDA QUE VEM DA AMAZÔNIA 
 NÃO AO TRÁFICO DE PESSOA

OBJETIVO

Fortalecer a atuação em rede, capacitar e formar lideranças para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, desenvolvendo práticas pedagógicas e construindo propostas de políticas públicas para a prevenção do tráfico na Amazônia.


PROGRAMAÇÃO


DIA 3 de março
Chegada, acolhida e credenciamento.

DIA 4 de março
Coordenação: Rede Núcleo Manaus. (Sandra Loyo e Nilda Nair)
·         07h. Café da manhã.
·         08h.  Mística de abertura e apresentação. Circularidade da mandala. (Rede - Manaus).
·         Fala de abertura. Dom Mário Antônio, Pe. Cleverton Márcio Araújo da Silva, Coordenador da CRB Regional Amazonas/Roriama, Ir. Roselei Bertoldo, Articuladora da Rede Um Grito Pela Vida, Amazonas/Roraima,  Ir. Eurides Alves de Oliveira, Coordenadora Nacional da Rede Um Grito Pela Vida. Ir. Gabriela Botani, Rede Internacional Talita Kun.
·         Teatro –  Cia. de Dança Arte Sem Fronteiras. Wilson
·         10h. Apresentação (10 minutos) para cada estado: trazer elementos da realidade de tráfico de pessoas destacando 3 desafios a serem partilhado (Estado do Brasil – Amazonas, Pará, Rondônia, Acre, Roraima, Amapá, Tocantins, Maranhão. Países: Perú, Colômbia, Suriname, Guiana Inglesa, Guiana Francesa e Venezuela, CPT Nacional, Fei Xavier Plassat,  Comissão Justiça e Paz, Ir. Henriqueta.
·         12:30h almoço.
·         14:30h Análise de conjuntura atual da Amazônia legal (destacando a questão econômica, sociopolítica e gênero) - (Prof. Doutora Márcia Maria de Oliveira)
·         16h Intervalo
·         16:30h Dimensão econômica na fronteira amazônica. (Maria Madalena Ferreira)
·         17:40h Por proximidade ressonâncias, 3 pontos para os grupos colocarem na rede
·         18:00h socialização das ressonâncias - Eurides ajudará o grupa a tecer os fios...
·         18:30h  jantar
·         20h Partilha das experiências significativas dos países. (Peru, Suriname)
·         Benção de encerramento do dia.

DIA 5 de março

Coordenação Ir. Gabriela  e Núcleo de Porto Velho.
·         06:30h café da manhã
·         07:30h mística (Belém, Suriname)
·         08h Dinâmica: Construção do Mapa das rotas do tráfico de pessoas. Sobre o mapa serão colocados marcadores (Setas) para escrever para onde são levadas as pessoas traficadas (origem e destino) construindo as rotas. (Chamas) para identificar pontos de exploração sexual, (por exemplo – garimpos, portos, etc..) em cada região.
·         08:30h Leitura do tráfico de pessoas na Amazônia, suas forças estruturantes, suas dinâmicas concretas, quanto da política nacional de enfrentamento e a importante discussão conceitual. (Marcel Hazeu – ONG Só Direitos - Belém)
·         10:30h Intervalo para o lanche
·         10:45h continuidade.
·         11:30h cochicho por proximidade e ressonâncias. O que queremos que não se perca na caminhada - memória. (Destacar um elemento em cada grupo para tecer a rede).
·         12:30h almoço
·         14h Partilha das experiências significativas de enfrentamento ao tráfico de pessoas.
o   Pará: Ir. Henriqueta - CJP, acompanhamento as vítimas e denúncias do tráfico de pessoas.
Ir. Rosa Maria: (Rede Um Grito pela Vida): Pastoral nos portos e trabalho preventivo com grupos de mulheres indígenas.
o   Perú: Ciceron: Partilha do trabalho preventivo sobre o tráfico de pessoas na educação formal.
o   Manaus: Ir. Rose - Rede Um Grito Pela Vida. Articulação e parcerias. Ações de intervenção social.
o   Prof. Vereador Bibiano – Criação da Frente Parlamentar de prevenção e enfrentamento ao TP.
15:30h Intervalo 20 min
o   Tabatinga: Isalene Thiene enfrentamento ao tráfico de pessoas nas fronteiras.
o   Porto Velho: Madalena Formação de Multiplicadores – Curso de extensão UNIR.
o   Frei Xavier Plassat- CPT. Campanha: Fique de olho em não virar escravos.
e    Talitha Kum internacionalidade - E. Gabriela.

·         Fechamento do dia Ir. Gabriela –Porto Velho, tessitura dos fios da rede do dia.
·         20h Noite: partilhas de outras iniciativas internacionais (Colômbia, Guinas.)
·         Benção de encerramento do dia.


DIA 6 de março

Coordenação Eurides e Núcleo de Belém.
·         06:30h café da manhã
·          07: 30h místico (Rondônia, Acre, Peru - Mãe de Deus)
·         08h Um olhar externo: Diagnostico dos organismos previstos no I e II PNETP na Região Amazônica, desafios e perspectivas, informações e propostas de ações para os estados onde há e aonde não há NETP ou PAHM. (Heloisa Greco Alves -  Coordenadora Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas - do Ministério da Justiça.
·         10h – trabalho em grupo: Um olhar interno: Diagnóstico de potencialidades e desafios no enfrentamento ao tráfico de pessoas na Região Norte. Resultado do trabalho de grupo são perguntas e propostas a serem apresentadas em um diálogo conclusivo com Eloisa Greco Alves.
·         10:40h debate com Eloisa Greco Alves -  modera Ir. Eurides.
·         12:30h almoço
·         14h Expressão corporal para motivar o compromisso de enfrentamento ao tráfico de pessoas. (Alan e Fatima Cunha)
·         14:30h Fala das três responsáveis para as oficinas para as propostas de políticas públicas para o enfrentamento ao tráfico de pessoas na região norte:
Ir. Henriqueta Cavalcante, Comissão Justiça e Paz, para o eixo da Prevenção, (Elementos para a construção de propostas e formulação de políticas públicas no enfrentamento ao tráfico de pessoas, no eixo da prevenção).
Graça Prola da SEAS- AM para o eixo da assistência às vítimas, (Políticas públicas existentes para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, elementos para a construção de propostas e formulação de novas políticas públicas, no eixo da assistência as vítimas da violência do tráfico)
Letícia Botelho para o eixo da responsabilização. (Legislação de responsabilização ao tráfico de pessoas).
·         16h Intervalo para o lanche
·         16:15h divisão dos grupos para os trabalhos das oficinas as três responsáveis.
Grupo I Ir. Henriqueta Cavalcante para o eixo da Prevenção,
Grupo II Graça Prola da SEAS AM para o eixo da assistência às vítimas,
Grupo III Letícia Botelho para o eixo da responsabilização.

·         19:00 jantar
·         Leitura dos resultados das oficinas. (Perguntas de esclarecimentos)
·         Benção de encerramento do dia.

DIA 7 de março

Coordenação Márcia e Madalena.

·         06:30h café da manhã.
·         07:30h mística (Roraima e Venezuela)
·         08h Mesa da circularidade com os seguintes temas – coordenadora Professora Doutora Márcia Oliveira. Cada um tem 30 minutos.
o   Tráfico de pessoas para fins de Exploração sexual e questão de gênero na Amazônia.   (Prof. Doutora Iraildes Caldas - Manaus)
o   Exploração laboral no campo, na cidade (Frei Xavier Plassat – CPT Tocantins).
o   Novos fluxos migratórios (Professora, Doutora Frances Rodrigues UFRR).

·         10:30h lanche
·          10: 45h debate
·         11:45h cochicho por proximidade para definir os pontos que queremos amarrar e dar continuidade na tessitura da Rede.
·         12:30h Almoço
·         14h Memória dos nós amarrado na rede e das propostas de políticas públicas. (Equipe de coordenação) Encaminhamento para o trabalho de grupo com a finalidade de dar encaminhamentos para propostas.
o    Fortalecer e promover o trabalho em rede, ente os Estados e Países;
o   Desenvolver propostas concretas para políticas públicas e atividades voltadas a uma efetiva prevenção do tráfico de pessoas na Amazônia.

·         Noite Cultural com jantar regional
·         Grupo de animação (Salesianos e convidados)

DIA 8 de março

Coordenação (Sandra Loyo e Eurides)

·         07h café da manhã
·         08h Plenária para conclusão e os encaminhamentos e propostas
·         Carta conclusiva do encontro.
·         Avaliação
·          Entrega do certificado.
·         Celebração eucarística conclusiva
·         Encerramento com almoço.

14:30 passeio pela cidade com quem estiver.


“... o tráfico de pessoas representa a escravidão de nossa época, a mercantilização da vida. O tráfico de pessoas desvela a ambiguidade e a violência de um modelo econômico de desenvolvimento que, em nome do lucro, considera tudo, inclusive as pessoas, como mercadoria” (Gabriela Bottani)


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Mesa Redonda “Fraternidade, Igreja e Sociedade - Eu vim para servir” e a reflexão sobre o Tráfico de Pessoas



Afrouxe as correntes, elas são pesadas”. (Santa Bakhita)

A REDE UM GRITO PELA VIDA, criada em 2006 por um grupo de Irmãs de diferentes Congregações, é um espaço aberto para que outras irmãs e irmãos da Vida Religiosa, assim como leigas/os, possam se aderir, apoiar e comprometer-se no enfrentamento da realidade do Tráfico de Seres Humanos, sendo atualmente uma forma moderna de escravidão e exploração dos corpos humanos. Este Crime Organizado Transnacional, cresce assustadoramente privilegiando entre suas vítimas: mulheres, crianças e adolescentes. Encontra-se entre as três fontes ilícitas de lucro na economia internacional.

Unidas/os como Rede que luta e grita pela VIDA, vamos dar um BASTA! É preciso que a VRC sinta o apelo de Deus a assumir com um novo ardor missionário e profético, essa realidade desafiadora.

É com alegria que convidamos vocês para participarem de uma mesa redonda que focará sua reflexão na Campanha da Fraternidade deste ano, com o tema e o lema: “Fraternidade, Igreja e Sociedade - Eu vim para servir”, e o Tráfico de Pessoas.

Seja você mais um/a integrante da Rede Um Grito pela Vida! Participe!

DATA: 07 de março de 2015
LOCAL: Educandário São José, das Irmãs do Imaculado Coração de Maria.
ENDEREÇO: Rua Belém, 129- Próximo da Estação do Metrô Belém.
TELEFONE: (11) 2 693-1378.
HORÁRIO: 08h30min a 12h00min.
ASSESSORIA: Dra. Cláudia Luna, Dra. Anália Ribeiro e Fernando Altemeyer.
ATENÇÃO: Favor fazer sua inscrição até dia 05/03/2015 pelo site da CRB/SP:  www.crbsp.org.br                                                                                
Irmã Inês da Costa Camargo, ftos. 
Assessora Executiva Regional da CRB, SP


Fones: (11) 3141-2566 e 3253-4168
Home-Page: www.crbsp.org.br / E-mail: crbsp@crbsp.org.br