Mais notícias

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Por um carnaval sem exploração!

Fique de olho e denuncie casos suspeitos de exploração sexual, trabalho infantil, negligência, tráfico, aliciamento, dentre outros.

#carnavalsemabuso #disque100 #carnavalsemviolência#respeitar #proteger #garantir





Campanha alerta para proteção de crianças e adolescentes no carnaval

Ação divulga os principais canais de denúncia: Disque 100 e o aplicativo Proteja Brasil. Objetivo é conscientizar população a denunciar situação de violação de direitos, violência sexual, trabalho infantil e uso de álcool e drogas

Brasília, 22/2/17 – Em períodos de festas populares como o carnaval, aumentam os riscos para situações de violência contra crianças e adolescentes, que ficam mais vulneráveis em grandes aglomerações. Para sensibilizar e alertar a sociedade, a Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA) – antiga subpasta do Ministério da Justiça e Cidadania – lançou a Campanha Nacional de Proteção a Crianças e Adolescentes no Carnaval. Com o tema Respeitar, Proteger, Garantir – todos juntos pelos direitos da criança e do adolescente, a ação divulga os principais canais de denúncia: Disque 100 (Disque Direitos Humanos) e o aplicativo Proteja Brasil. A iniciativa conta com a parceria do Ministério do Turismo, Infraero, Frente Nacional dos Prefeitos, União Europeia e Childhood Brasil.




Rede participa de audiência com o Procurador Geral do Ministério Público do Estado do Amazonas


A Rede Um Grito pela Vida, em parceria com a Frente Parlamentar contra a Violência Sexual de Crianças e Adolescentes - FRENPAC e o Comitê Estadual de Enfrentamento a Violência e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, do qual a Rede Um Grito Pela Vida faz parte, junto com outras organizações de proteção e defesa dos direitos da infância, realizou no dia 12/02/2017 uma audiência com o Procurador Geral do Ministério Público do Estado do Amazonas, Dr. Pedro Bezerra Filho.


Nesta oportunidade, a Rede apresentou como proposta a criação de uma comissão de monitoramento dos casos de abuso e exploração sexual no Estado e a criação de um programa de proteção como forma de garantir e defender as vítimas e testemunhas e, deste modo, dar-lhes condições de denunciar. 

O procurador acolheu com interesse e se comprometeu a dar encaminhamento às propostas de forma processual.



Enviado por Sandra Regina Loyo Penha
Articuladora da Rede



quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

10 anos de Rede - Sensibilização contra o tráfico de pessoas - Confira a entrevista para o Portal A12

A 'Rede Um Grito Pela Vida' comemora em 2017 os seus 10 anos de existência. Iniciativa da Conferência dos Religiosos e Religiosas do Brasil este organismo atua contra o tráfico de pessoas na prevenção, atenção às vítimas e incidência politica através de diversas atividades. Para celebrar a sua ação ao longo dessa primeira década, o organismo prepara uma série de ações durante todo o ano. 
Irmã Eurides Alves de Oliveira, coordenadora nacional da 'Rede Um Grito Pela Vida', em entrevista ao A12.com fala da comemoração e destaca pontos importantes da atuação evangelizadora e profética da Rede diante da realidade desumanizante do tráfico de pessoas. 
Atualmente, o tráfico de pessoas atinge 45,8 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo compreendido por meio de seis modalidades: exploração sexual, trabalho escravo, venda de órgãos, servidão domestica, mendicância e tráfico para atividades ilícitas. Entre essas realidades, a Rede atua mais incisivamente no tráfico para fins de exploração sexual, com especial atenção às mulheres, crianças, adolescentes e juventudes, por ser a modalidade e público de maior incidência. 
A Rede foi criada em 30 de março de 2007 com o apoio de 28 religiosas que depois de um curso se viram impelidas a lutar contra essa chaga social que vitima principalmente jovens mulheres e crianças. Atualmente, este trabalho conta com a colaboração de mais de 300 religiosos e religiosas de diversas congregações. 

Hoje, divulgamos a primeira parte da longa e especial entrevista concedida pela Irmã Eurides. Ao longo da semana, outros temas serão apresentados pela religiosa, como, por exemplo: as conquistas da Rede, as realidades que mais desafiam sua missão e uma análise realista sobre os retrocessos das políticas nacionais voltadas para essa realidade. 
Nessa primeira parte, a coordenadora destaca a motivação da Rede para a comemoração e elenca as ações que serão desenvolvidas pela Rede. 
A12 - Em 2017 a 'Rede Um Grito Pela Vida' vai comemorar 10 anos de existência. Celebrar essa primeira década faz recordar as inúmeras ações que a Rede já empreendeu na luta pela vida e contra o tráfico de pessoas? 
Foto de: icm-sec.org.br. 
Irmã Eurides
Irmã Eurides | Rede ganhou visibilidade e 
força místico-profética de conscientização, 
articulação e mobilização em 
âmbito nacional e internacional
Irmã Eurides - A Rede um Grito Pela Vida celebra em março de 2017, 10 anos de compromisso no enfrentamento ao tráfico de pessoas. Temos uma década de história bonita e significativa, tecida por muitas mãos para celebrar. Um caminho, uma caminhada de possibilidades, desafios e esperanças para recordar, celebrar e projetar...
Celebrar 10 anos de compromisso no enfrentamento ao tráfico de pessoas, como Rede é um tempo de graça, reconhecimento, memória e reafirmação do compromisso com dignidade e vida das pessoas exploradas e traficadas em nosso país. Tempo também de recordar o caminho percorrido, avaliar e projetar a continuidade da luta com maior determinação e empenho.
Recordamos que no dia 30 de março de 2007, a Rede teve início com um grupo de 28 religiosas de 20 Congregações, vindas de diversas regiões do País. Essas religiosas, ao concluirem o curso de formação sobre tráfico de pessoas organizado pela Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), por solicitação da União Internacional das Superioras Gerais (UISG) que em sua Plenária Internacional, sentiram-se indignadas e sensibilizadas com a crueldade, amplitude e gravidade da realidade do tráfico no mundo e no país. Essas religiosas, sentiram neste drama de milhares de pessoas um desafio, um clamor. Sentiram um apelo de Deus que precisava ser acolhido e enfrentado de forma conjunta. E para esta finalidade criaram a Rede um Grito pela Vida.          
Assim nasceu a 'Rede Um grito Pela Vida', como uma pequena semente de missão em rede no enfrentamento ao tráfico de pessoas. Semente que ao longo destes 10 anos foi regada com ‘muita reza e muita luta’, cresceu e se espalhou pelo Brasil, como expressão Evangélico-Politica de solidariedade e cidadania. Ganhou visibilidade e força místico-profética de conscientização, articulação e mobilização em âmbito nacional e internacional. 
A12 - Como a Rede vai celebrar esse aniversário?
Irmã Eurides - Vamos celebrar com gratidão e alegria e renovado compromisso esta década de missão no enfrentamento ao tráfico de pessoas. 
Leia a entrevista completa para o Portal A12.com nos links abaixo:

 2ª parte da entrevista: 

Combate ao tráfico de pessoas enfrenta “grandes retrocessos”, afirma religiosa


3ª parte da entrevista: 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Rede Um Grito pela Vida na Jornada Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas

A Rede Um Grito Pela Vida, núcleo Manaus, se fez presente acendendo luzes contra o tráfico de pessoas,em diversos lugares da cidade: Comunidade São Mateus na Zona Leste, Comunidades Religiosas - Irmãs do Imaculado Coração de Maria e Irmãs Lourdinas (por ocasião das celebrações da festa da padroeira); Paróquia de São Raimundo, Comunidade N. Sra. de Fátima - Área Missionária São Paulo Apóstolo na zona norte, Curso de teologia ITEPES, Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, Reunião Mensal da Rede, Curso de Teologia Pastoral no Dom Bosco na zona leste, Paróquia N. Sra. de Nazaré em Manacapuru, Paróquia São Geraldo no Encontro com migrantes haitianos e venezuelanos, encontro das Leigas ALMABER de Manaus e no Curso de Realidade Amazônica no ITEPES.

O programa para 2017 introduziu um novo elemento. Além da proposta Oração e Reflexão, nos convidou e continua convidando a focar um aspecto especifico do vasto e complexo mundo do tráfico de seres humanos: o tráfico de meninos, meninas e adolescentes. São crianças, não escravas/os!#saocriancasnaoescravas



Semana intensa de Oração e Reflexão na 
Jornada Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas











Rede em missão e partilha - Realidade Amazônica

No dia 11 de fevereiro de 2017, a Rede Um Grito Pela Vida esteve presente junto ao grupo de missionárias e missionários que fazem o curso sobre realidade amazônica. Foi uma manhã de partilha da missão e sobre a realidade do tráfico de pessoas no regional Norte I.

    Acendendo luzes contra o tráfico de pessoas.


Formação e troca de saberes com o Projeto Criança Migrante – NOVO NINHO

 

A ASBRAD (Associação Brasileira de Defesa da Mulher, infância e da Juventude), entre seus projetos têm o denominado ‘Criança Migrante – Novo Ninho”. O objetivo do projeto é garantir os direitos das crianças e adolescentes migrantes no Brasil, especialmente o que têm histórico de violência e exploração sexual.

Foco: capacitar os profissionais que trabalham com as crianças e adolescentes migrantes. A capacitação normalmente é realizada em cursos de curta duração, aborda técnicas de atendimento e definição de fluxos locais para a recepção e encaminhamento dessas violações de direitos.

O “Criança Migrante – Novo Ninho” atua em municípios com alto fluxo de atividade migratória e imigratória em Assis Brasil (AC), Foz do Iguaçu (PR) e São Paulo (SP).

A capacitação, diálogo com troca de saberes, conhecimento, experiências para fortalecer e construir uma caminhada conjunta de Diretrizes de Atendimento Humanizado às Crianças  e Adolescentes  no contexto  da Migração  nas Fronteiras  aconteceu em Assis Brasil,  nos dias 31 de janeiro e 01 de fevereiro de 2017.

O Núcleo (em gestação), da Rede Um Grito pela Vida de Assis Brasil esteve presente nos dias de formação e troca de saberes.




 Núcleo de Rio Branco /AC


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

NOTA PÚBLICA DE REPÚDIO À DECISÃO DO JUIZ LUIS CARLOS HONÓRIO DE VALOIS COELHO, DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA E DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO AMAZONAS

O conselho do Movimento Nacional de Direitos Humanos do Amazonas, com base nas atribuições deste Organismo não governamental voltado aos direitos humanos e em parceria ao Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Criança e Adolescente e outras instituições de atendimento e defesa dos direitos da criança e adolescentes, que tem como competência avaliar, acompanhar e subsidiar a execução do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Criança e Adolescente. Vem manifestar REPÚDIO à decisão do Juiz da Vara de Execuções Penais (VEP), Luís Carlos Valois, com a manifestação favorável do Ministério Público.

Na decisão, o magistrado cita que o ex-prefeito de Coari tem bom comportamento carcerário e atende os requisitos do Decreto Presidencial nº 8.940/2016, que trata do indulto presidencial. A aplicação do indulto que extingue a pena de Adail Pinheiro referente ao crime de exploração sexual de crianças e adolescentes, os quais eram sustentados com recursos públicos e sob proteção da máquina administrativa e de segmentos do Judiciário, conforme divulgações na mídia nacional.

A exploração sexual é crime previsto no Código Penal e no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), imputável ao próprio agressor, ao aliciador, ao intermediário que se beneficia comercialmente do abuso.

Neste cenário de contradições e violências, entendemos que as crianças e adolescentes – vítimas dos crimes praticados por Adail Pinheiro – mais uma vez, tem seus direitos violados e, portanto estão sendo revitimizadas pelo Estado do Amazonas. Por esta razão, o MNDH/AM e as demais Instituições repudia de forma intransigente a decisão do Magistrado e do Promotor de Justiça. E requeremos ao Conselho Nacional de Justiça e ao Conselho Nacional dos Promotores Públicos que se posicione a respeito da referida decisão, estabelecendo as medidas legais cabíveis em relação ao magistrado e ao promotor, a fim de assegurar o respeito integral aos Direitos Humanos e o fortalecimento da democracia e justiça social. 

Nosso compromisso de valorizar a pluralidade das vozes e de democratizar os espaços da mídia nos mobiliza a publicar esta nota. Esperamos que as autoridades, através de suas assessorias, tomem conhecimento do documento.

AOS QUE ERGUEM A CLAVA FORTE DA JUSTIÇA”

A lógica patriarcal, sustentáculo das perversidades do sistema capitalista, não tem fronteiras: sobrepõe-se aos direitos civis e políticos dos povos e nações, transgredindo, assim, à ética universal dos seres humanos.

Apesar das perseverantes lutas através dos tempos e dos avanços por Igualdade, Autonomia, Liberdade, Solidariedade, Justiça e Paz, as instituições de atendimento e defesa dos Direitos Humanos a Criança e ao Adolescente ainda se impõem muitos desafios ao enfrentamento a discriminações, explorações, abusos, enfim, violências de várias ordens.

E, assim, reafirmamos nossos propósitos e compromissos.

Movimento Nacional de Direitos Humanos – MNDH- AM/RR
Comitê Nacional e Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual contra Criança e Adolescente – CEVSCA/AM
Rede ECPAT Brasil
Casa Mamãe Margarida
Conselho Regional de Serviço Social – CRSS/AM
Frente Parlamentar de Enfrentamento à Violência Sexual contra Criança e Adolescente - FRENPAC
Rede um Grito Pela Vida - Amazonas
Fórum Permanente de Mulheres de Manaus
Associação das Donas de Casa do Estado do Amazonas – ADCEA
Conselho Estadual dos Direitos de Crianças e Adolescentes
Conselho Municipal de Direitos de Crianças e Adolescentes
Fórum de Saúde Mental

domingo, 29 de janeiro de 2017

Rede Um Grito pela Vida fala sobre o tráfico de pessoas para a Folha de Londrina

 Matéria de Viviane Costa





Dom Jurkovič: combater tráfico de órgãos e turismo dos transplantes

Cidade do Vaticano (RV) - “Jamais nenhuma vida ou pessoa humana deve ser tratada como objeto de manipulação ou mercadoria descartável.”
Foi o que disse o Observador Permanente da Santa Sé na ONU, em Genebra, Suíça, Dom Ivan Jurkovič, citando São João Paulo II, no 140º encontro do Conselho Executivo da Organização Mundial da Saúde (OMS), na capital helvécia, nesta quinta-feira (26/01), sobre o tema “Princípios por um consenso global para a doação e gestão de sangue e produtos médicos de origem humana.”

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Jornada Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas 2017

No dia 8 de fevereiro, dia de Santa Bakhita (padroeira das pessoas sequestradas e escravizadas), realiza-se a Jornada Mundial de Oração e Reflexão contra o Tráfico de Pessoas. Em 2017, a campanha apresenta um novo elemento. Além da proposta de oração e reflexão, convida-nos a focar um aspecto específico do vasto e complexo mundo do tráfico de seres humanos: o tráfico de crianças meninos/meninas e adolescentes. 

Memória litúrgica de Santa Bakhita



Convidamos a todas/os a participar, do modo que for possível, divulgando em suas comunidades locais, cidades e redes sociais, chamando mais multiplicadores para agregar a esta campanha.

Se você estiver em Roma, poderá ver os eventos propostos para a semana, que se iniciam no dia 1º de fevereiro e vão até o dia 8 de fevereiro de 2017. Saiba mais

Rezemos e informemo-nos contra o fenômeno generalizado do Tráfico de crianças e adolescentes. No site preghieracontrotratta.org você pode encontrar todas as informações e materiais.


COMO PARTICIPAR?

- Organize uma oração: download do texto.

- Entre em contato com a imprensa para sensibilizar a opinião pública:


- Pendure o cartaz na sua comunidade e/ou paróquia.

- Informe-se sobre o fenômeno do tráfico de pessoas para se tornar um/a agente de sensibilização.

- Use a hashtag #saocriancasnaoescravas para compartilhar informações e convidar para esta Jornada Mundial de Oração.
Jogue a favor da Vida!

Para saber mais sobre esta Jornada estabelecida pelo Papa Francisco, acesse: Jornada de Oração contra o tráfico de pessoas 2015



Giornata Mondiale di Preghiera e 
Riflessione Contro la Tratta di Persone
Sono bambini! Non Schiavi!

They are just children! Not slaves!

São crianças, não escravas/os!

Rede Um Grito pela Vida
gritopelavida@gmail.com
facebook: @redegritopelavida

 Talitha Kum UISG-USG 
Piazza di Ponte Sant'Angelo, 28 - 00186 Roma

sábado, 24 de dezembro de 2016

POR UM NATAL DE PAZ E ESPERANÇA


NOTA PÚBLICA DE REPÚDIO À DECISÃO DO JUIZ DE DIREITO FÁBIO LOPES ALFAIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA COMARCA DE COARI


COMITÊ ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA SEXUAL 
CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES – CEVSCA/AMAZONAS

O Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes do Amazonas que tem como competência avaliar, acompanhar e subsidiar a execução do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, vem manifestar repúdio à decisão do Juiz de Direito Fábio Lopes Alfaia do Tribunal de Justiça da Comarca de Coari que anulou o processo contra Adail Pinheiro pelos crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes, proferido pelo Ministério Estadual (MPE/AM).


Na decisão, publicada, na última sexta-feira (16), no Diário Oficial do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), no Caderno do Interior do Estado, o magistrado cita, ainda, que rejeita a “peça acusatória em todos os seus termos, extinguindo-se este feito sem resolução do mérito, em vista da ausência de condição da ação na espécie e revogo, por conseguinte, todas as medidas cautelares restritivas aplicadas sobre a pessoa dos réus”.

Deste modo, entendemos que em um Estado Democrático de Direito onde a prevalência dos direitos humanos é princípio constitucional, não há espaço para estímulo e ação dessa prática repulsiva, típica de sociedades e regimes ditatoriais. Esta situação é ainda mais agravosa por se tratar do Direito da Criança e do Adolescente.


O CEVSCA/AM através de toda rede de enfrentamento que o compõe, repudia de forma veemente e intransigente a decisão desse magistrado,e apoiamos com veemência o Ministério Público Estadual (MPE/AM), que não ultrapassou suas prerrogativas no processo que envolve Adail Pinheiro e requer que o Conselho Nacional de Justiça se posicione a respeito da referida decisão e estabeleça as medidas legais cabíveis em relação ao magistrado, ressaltando que em nossa diretriz está o respeito integral aos direitos humanos e o fortalecimento da democracia e justiça social. 


Manaus, 21 de dezembro de 2016. 

Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes do Estado do Amazonas/CEVSCA-AM



Assinam:

Frente Parlamentar de Enfrentamento à Violência contra Criança e Adolescente – FRENPAC

Movimento Nacional de Direitos Humanos – MNDH/AM

Rede Um Grito pela Vida

Conselho Regional de Psicologia – CRP20

IACAS

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Rede Um Grito Pela Vida recebe prêmio da Cáritas Brasil

Talitha Kum contra o Tráfico das crianças e adolescentes

Por ocasião do Dia Mundial das Crianças, celebrado no dia 20 de novembro, Talitha Kum assina declaração pelos direitos das crianças que se encontram em situação de migração, reconhecendo e denunciando o risco contínuo relacionado ao tráfico de pessoas. 

"O Dia Mundial de Oração e Reflexão contra o tráfico de pessoas (celebado anualmente no dia 8 de fevereiro) foi constituído pela primeira vez em 2015 e tem como objetivo PARAR: parar um momento, junt@s, para rezar e refletir. Rezar porque acreditamos que nossa ação profética contra o tráfico de pessoas precisa ser sustentada pela espiritualidade. E refletir, pois o fenômeno do tráfico é tão complexo que precisamos, de verdade, tomar tempo para estudar e conhecer melhor esta realidade." (Gabriella Bottani)


Assista o vídeo:


TREINANDO “CAMINHOS DE LIBERDADE” EM PARCERIA COM A ONG CROPH - JOGO REDE PELA VIDA


No dia 24 de novembro, realizou-se uma oficina de treinamento do Jogo Educativo Rede pela Vida - Enfrentamento ao Tráfico de PessoasAs irmãs Cirley Covati (CJ), Eliane Matos (Divina Vontade) e Manuela Rodríguez Piñeres (OSR), que participaram do treinamento do jogo no dia 5 de novembro, multiplicaram a experiência com o pessoal da ONG CROPH - Coordenação Regional das Obras de Promoção Humana, que é um Projeto de promoção para a autonomia de pessoas em situação de rua, da Prefeitura de São Paulo. Ali trabalha Gilson Aurélio dos Reis, que integra o núcleo da Rede Um Grito pela Vida.



Participaram 04 pessoas da Rede um Grito pela Vida e 09 pessoas que estiveram em situação de rua e atualmente moram na ONG, desenvolvendo seu processo de autonomia. A maioria são  mães com seus filhos/as. Também estiveram presentes algumas mulheres migrantes, provindas do país de Angola (África). Três participantes da ONG se retiraram antes de finalizar a oficina, pois tinham que preparar seus filhos/as para que a escola.

Foi um momento bem descontraído e agradável, no qual os/as participantes se empolgaram e se apropriaram da dinâmica do jogo. Inclusive pediram que se repita a experiência.

Neste processo de tecer parcerias, contamos com mais uma entidade que abre as portas para a Rede atingir o objetivo de sensibilizar quanto à realidade do tráfico de pessoas, que sempre nos desafia e impulsiona a ser peças-chave no “jogo” de caminhar para a liberdade, de mãos dadas com os grupos mais vulneráveis.

Por Ir. Manuela Rodríguez Piñeres (OSR)

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

OFICINA DE TREINAMENTO DO JOGO REDE PELA VIDA - ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE PESSOAS

No dia 05 de novembro de 2016, realizou-se a Oficina de Treinamento do jogo REDE PELA VIDA - ENFRENTAMENTO AO TRÁFICO DE PESSOAS.

A Congregação de Jesus, representado por Ir. Cirley Covati, abriu as portas para realizarmos este encontro. Também estiveram presentes para jogar pela vida a Ir. Eliane Matos (Congregação da Divina Vontade), Ir. Manuela Rodriguez Piñeres, das Irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, e a a pedagoga Wanderléia Feitosa Rocha.



Graças à parceria com o Instituto Daniel Comboni, da Fazenda da Juta, Zona Leste, Wanderléia facilitou a oficina sobre o treinamento do jogo. 

Foi uma tarde descontraída e as participantes conseguiram atingir o objetivo: compreender e entender o jogo para levá-lo como instrumento de informação e sensibilização nas oficinas com adolescentes.

Outra oficina já está sendo projetada para outra formação. É do interesse de todas as pessoas que estão nesta caminhada ter esse treinamento, pois o Núcleo tem reproduzido 50 jogos, graças ao apoio financeiro da Conferência de Religiosos/as do Brasil (CRB). 


Por Ir. Manuela Rodriguez Piñeres- Núcleo da Rede Um Grito pela Vida SP

SIMPÓSIO “A GRAÇA DO CUIDADO NUM MUNDO SEM COMPAIXÃO”


 As Irmãs Franciscanas de São José celebrarão Jubileu de 150 anos da Fundação da Congregação, comemorado no dia 28 de outubro de 2017. Dentre a programação para este acontecimento Jubilar realizou-se, neste ano de 2016, um Simpósio sob o tema: “A Graça do Cuidado num mundo sem Compaixão”. 

Este evento aconteceu de 20 a 23 de outubro, no espaço muito especial do Hospital de Dermatologia São Roque, em Piraquara/PR, local considerado “muito sagrado” para a Congregação, pois aí se comemoram os 90 anos da chegada das primeiras Irmãs para a missão em terras brasileiras, a fim de dedicarem-se ao cuidado, dos chamados por elas, irmãos/as hansenianos/as. 

Além de vários conferencistas, contou-se também com a presença fraterna e alegre de Dom Francisco Carlos Bach, Bispo da Diocese de São José dos Pinhais – PR, no dia da abertura;  com a participação e compromisso profético de Dom Erwin, bispo do Pará, no dia 21 de outubro e de Dom José Antônio Peruzzo, Arcebispo Metropolitano de Curitiba, na Missa de Encerramento do evento. Foi muito marcante o seu testemunho de vida na homilia desta missa, ao reconhecer publicamente que teve a hanseníase e, sobretudo, como teve que fazer um processo profundo para se despir dos preconceitos que ele considerava não ter.
Foi também uma experiência intercongregacional, na qual houve espaço para compartilhar experiências de “cuidado e de compaixão”.  No dia 21, a Rede Um Grito pela vida teve seu espaço para colocar essa experiência de cuidado e compaixão com pessoas traficadas e migrantes com a participação da referência do Núcleo da Rede de Curitiba, Frei Luís Carlos Batista (Sacerdote Agostiniano) e Pe. Adler (religioso dos Padres Carlistas, do Haiti).
Segue a Conclamação do Simpósio, que encontra-se no facebock e no site da Congregação: www.franciscanasdesaojose.org.br [1]
Esse Simpósio foi para mim uma experiência inédita. Nele transbordou a Misericórdia, o “Cuidado e a Compaixão” feita vida no testemunho das irmãs e dos/as leigos/os Franciscanos/as da Misericórdia durante o Simpósio e na riqueza compartilhada a partir das diferentes frentes de missão, dos momentos de mística e troca de experiências. Percebeu-se ainda, na linha histórica desses 150 anos, uma trajetória que faz a diferença por ter a marca da Boa Nova do Reino expressada em gestos concretos de Misericórdia e Compaixão. Foi uma bênção poder participar deste espaço eclesial, intercongregacional e ecumênico.
Por Ir. Manuela Rodríguez Piñeres(OSR)
Núcleo da Rede Um Grito pela Vida-SP



[1] Alguns Parágrafos foram extraídos da Carta enviada aos/as participantes do Simpósio e do site das Irmãs Franciscanas de São José, também fotos: www.franciscanasdesaojose.org.br